Vídeo: Como a quarentena pode afetar a visão de crianças e adultos

Com as normas de distanciamento social necessárias para o combate à pandemia da Covid-19, cada vez mais as pessoas, adultos e crianças, estão usando smartphones, tablets, TVs e computadores, seja para o trabalho, no chamado home office, seja para trabalhos escolares ou diversão e passatempo. A quarentena trouxe novos hábitos (ou acentuou ainda mais os existentes), como o uso excessivo de equipamentos eletrônicos. No entanto, essa nova rotina reforça um fenômeno já detectado anteriormente com o aumento do uso de computadores e que vem se acentuando: a Síndrome Visual Relacionada a Computadores (SVRC), uma série de sintomas visuais, entre os quais cansaço, sensação de corpo estranho nos olhos, ardência, dor, irritação, vermelhidão, ressecamento e turvação.


O problema é que a mesma tecnologia que ajuda a manter o trabalho e os estudos em dia, também pode provocar ou agravar distúrbios oculares. As crianças, que antes tinham em tablets, computadores e smartphones uma fonte de diversão, passaram a utilizar esses aparelhos também para aulas e comunicação com parentes e amigos distantes, aumentando a quantidade de horas diante das telas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SOB), estima-se que até 90% dos usuários de computador por mais de três horas diárias apresentam algum tipo de sintoma relacionados à SRVC.


Uma das principais causas desse cansaço visual é o ressecamento ocular, a chamada Síndrome do Olho Seco. A diminuição do piscar, associada a outras condições ambientais, oculares e sistêmicas, com o ar condicionado, ventiladores, pouca ingestão de líquidos, uso de medicamentos (diuréticos, betabloqueadores) e o fumo, podem contribuir para a falta de lubrificação dos olhos e agravar a SVRC. 


Dicas para o dia a dia

- Em tempos de pandemia, na impossibilidade de sair de casa para realizar passeios ao ar livre, intercale as atividades em frente às telas com outras que não exijam tanto da visão, como brincadeira com os filhos, alguma tarefa doméstica e hobbies;

- Realizar intervalos frequentes enquanto estiverem utilizando esses equipamentos. A cada 20 minutos, retirar o olhar da tela e focalizar objetos distantes, por cerca de 20 segundos;

- Ajustar as configurações de brilho e contraste das telas também é uma alternativa para preservar a saúde dos olhos;

- Monitore crianças e jovens para não aproximarem demais dos olhos os celulares, tablets e computadores — eles devem ser mantidos a uma distância mínima de 30 cm da face.


Fonte: Portal da oftalmologia 

Compartilhar
0

Categorias

Quer receber nossas dicas e novidades?

É só cadastrar seu contato aqui.