Vídeo: Glaucoma: Chegou o Laser SLT, que pode substituir colírios

Uma ótima notícia neste mes de maio, que também abre espaço aos portadores de glaucoma (dia 26 é o Dia Nacional de combate à doença): o Hospital de Olhos de Cascavel acaba de incorporar aos seus recursos tecnológicos, o Laser LightLas SLT Deux. Segundo as oftalmologistas Letícia Cantelli Daud, e Sarita Pazetto Turchetti Camargo, especialistas em Glaucoma, a técnica SLT ou Trabeculoplastia Laser Seletiva aplica-se aos portadores do tipo mais comum de glaucoma, o de ângulo aberto, responsável por 80% dos casos.  


"Glaucoma é uma doença que não tem cura, mas quando tratada a tempo, pode-se evitar o seu avanço ou progressão que leva à cegueira. No tratamento tradicional são usados diferentes tipos de colírios. Eles são eficazes, mas exigem cuidados e rotinas rigorosas de aplicação e podem apresentar efeitos colaterais, além de seu custo relativamente elevado. Quando usamos o laser SLT, ganhamos em todos os sentidos. É um tratamento não-invasivo, indolor, rápido, tão eficiente quanto os colírios, mas sem os seus efeitos colaterais e relativamente mais econômico", explica a oftalmologista Letícia Cantelli Daud. 


Silenciosa, doença ataca dois a cada 100 brasileiros 

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o Glaucoma é a doença que mais causa cegueira irreversível no mundo. No Brasil estima-se que ela esteja presente em 2% da população, o que equivale a cerca de 4,6 milhões de pessoas. A ciência ainda não definiu a sua origem exata. O certo é que ela está associada à pressão alta do olho, que provoca a destruição progressiva das fibras do nervo óptico que conduz a visão ao cérebro.  

 

Embora possa ocorrer em todas as idades,  o risco potencial é maior entre quem tem mais de 40 anospessoas de cor negra, quem têm maior propensão a desenvolver pressão alta, e  entre os portadores de diabetes. O histórico familiar também é importante para o diagnóstico, pois cerca de 6% das pessoas com a doença já tiveram outro caso na família. 


Na fase inicial, a doença é assintomática, costuma não ser percebida. Segundo a oftalmologista Sarita Pazetto Turchetti Camargo, a perda visual ocorre em fases mais avançadas e compromete primeiro a visão periférica. Depois, o campo visual vai estreitando até transformar-se em visão tubular. Sem tratamento a tempo, o paciente fica cego. "Como em geral, o portador de glaucoma não percebe, a única forma de detectar a doença em sua fase inicial é através dos exames de pressão ocular e de fundo de olho, que permitem avaliar alterações no nervo ótico. Por isso também é tão importante fazer check-up com o  médico oftalmologista ao menos uma vez por ano", diz. 

 

Como este laser funciona 

Mais nova opção a laser para controle do glaucoma, a Trabeculoplastia Laser Seletiva é uma técnica que busca diminuir a pressão ocular estimulando o trabeculado que funciona como um "ralo" por onde o líquido é eliminado. A aplicação do laser faz o trabeculado drenar mais e melhor. 


A terapia é indicada somente para o glaucoma de ângulo aberto, que responde por 80% dos glaucomas (existem vários tipos da doença) e apresenta resultados ainda melhores na fase inicial da doença.



Compartilhar
1