O que é nistagmo?


 


Nistagmo são oscilações rítmicas, repetidas e involuntárias de um ou ambos os olhos conjugadamente, nos sentidos horizontal (de um lado para o outro), vertical (de cima para baixo) ou rotatório (movimentos circulares) que podem dificultar muito a focalização das imagens. Como acontecimento fisiológico, o nistagmo é um reflexo que ocorre durante a rotação da cabeça, para estabilizar a imagem. Ou seja, a cabeça gira, mas os olhos não. O reflexo é dividido em duas fases, uma lenta e outra rápida. A fase lenta visa compensar a rotação da cabeça e a fase rápida tem a função de reposicionar o movimento, porque caso contrário o olho atingiria a borda da órbita e se manteria lá enquanto durasse o movimento rotacional da cabeça. A fase lenta é comandada pelo sistema vestibular e a fase rápida pelo tronco cerebral. O nistagmo patológico ocorre quando os movimentos ocorrem mesmo se a cabeça está parada. Quanto à direção do movimento dos olhos no nistagmo patológico, uma irritação do labirinto esquerdo produz movimentos lentos para a direita e movimentos rápidos para esquerda. Na alteração do labirinto direito as coisas se passam do mesmo modo, em sentido inverso. Os nistagmos são claramente percebidos pelas pessoas, embora em casos leves não sejam sentidos pela própria pessoa que os tem.


 


Quais são as causas do nistagmo?


 


O nistagmo normal é simplesmente o reflexo que ajusta os olhos para a visão, mas em casos patológicos ele pode prejudicar a fixação e a eficiência visual, especialmente para visão à distância. No caso de patologias, os olhos se movem primeiro na direção do lado lesionado (fase lenta do nistagmo) e em seguida faz uma rápida correção (fase rápida do nistagmo) para o lado oposto. O nistagmo pode ser causado pelo uso de certos medicamentos, excesso de álcool, deficiência de vitamina B12, ferimentos na cabeça, labirintites, maculopatias (lesões da mácula, parte central da retina), albinismo e patologias neurológicas, entre outras causas. Existe também um nistagmo congênito, geralmente brando e não percebido pela própria pessoa, que pode ter causas num defeito do olho ou na comunicação entre o olho e o cérebro.


 


Como o médico diagnostica o nistagmo?


 


O nistagmo é facilmente percebido pela simples observação, mas pode ser investigado clinicamente por meio da prova calórica, que o desencadeia e que consiste em irrigar com água quente ou fria um dos meatos auditivos. A variação de temperatura assim produzida provoca a estimulação do nervo vestíbulo-coclear, o que produz nistagmo. A movimentação dos olhos pode então ser registrada pelo eletronistamógrafo, um aparelho que registra os movimentos oculares. Outro método não invasivo utilizado em testes para induzir o nistagmo rotatório são as cadeiras especiais que giram e balançam. Uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética da cabeça podem ser necessárias para esclarecer as causas do nistagmo.


 


Como o médico trata o nistagmo?


 


Não há tratamento possível para a maioria dos casos de nistagmos congênitos, mas muito pode ser feito para melhorar a visão de quem tem esse problema. Pode-se recorrer à oclusão alternada dos olhos, uso de prismas, mudança dos óculos por lentes de contato etc., ou a medicamentos, segundo orientação médica. O tratamento para o nistagmo adquirido dependerá da sua causa. O nistagmo devido a medicamentos ou a infecções normalmente desaparece depois que a causa dele é afastada. Em casos de maior gravidade pode-se recorrer ao tratamento cirúrgico, com o objetivo de melhorar a acuidade visual do paciente.


Fonte: ABCMED

Compartilhar
0

Categorias

Quer receber nossas dicas e novidades?

É só cadastrar seu contato aqui.